Série Apresentação - Texto 5 - Como salvar sua apresentação em Inglês

Desde o começo de agosto, estamos falando, por aqui, sobre APRESENTAR EM INGLÊS. Falamos sobre o nível da língua, e que a ansiedade sobre isso pode atrapalhar bastante, sobre como sua postura e segurança influenciam na hora H e demos, inclusive, dicas de frases e de como organizar a sua apresentação. Ah, a gente falou sobre isso numa live linda lá no Instagram. Para quem assistiu, e mesmo para quem ainda vai ver, aqui vai um resumão do assunto!


Sim, a gente sabe o quanto pode ser angustiante ter que apresentar em Inglês para uma, duas ou muitas pessoas. Mesmo online, como está acontecendo nos dias de hoje.Este é um dos assuntos que os alunos mais pedem minha ajuda e é exatamente por isso que criamos essa série - esperamos que ela tenha ajudado, no mínimo, a desmistificar um pouco o assunto para você.

Não leu os outros textos? Volte algumas páginas e dê uma olhadinha. Falamos sobre o nível necessário para apresentar - você sabia que não precisa, necessariamente, ser um expert na língua? Falamos sobre a postura e como é importante desenvolver uma certa segurança para mostrar o conteúdo. Aproveite!

É muito comum em qualquer apresentação - em especial em inglês - de darmos tiro no nosso próprio pé! Ficamos no automático e esquecemos o que está no nosso controle! Na live falamos sobre os 5 tiros no pé mais comum e como evitá-los!

ERRO NÚMERO 1 - Não usar os recursos visuais a SEU favor

Muitas vezes, estamos tão concentrados na nossa performance ao apresentar, que esquecemos totalmente de usar os recursos visuais a nosso favor. Para evitar isso:

● Deixe os gráficos e visuais APENAS com as informações necessárias

● Deixe números e palavras importantes fáceis de serem lidos

ERRO NÚMERO 2 - querer usar palavras acima do próprio nível

Esse pode ser um erro fatal - querer mostrar mais do que realmente sabe, para impressionar. Além de causar ainda mais estresse, afinal de contas, você estará lidando com palavras que não domina, ainda tem uma chance grande de não ter controle sobre a apresentação, se perder no meio e ficar ainda mais nervoso ou nervosa.

● Não tente impressionar

● Use vocabulário do seu nível

● Comunique com o rosto e o corpo, não só com as palavras

ERRO NÚMERO 3 - Querer falar muito rápido, sem pausar


Esse tipo de erro pode, também, acontecer em português. Para quem é tímido, por exemplo, ou tem problemas para falar em público, a rapidez na fala pode ser inclusive um artifício para que aquela situação não tão agradável termine logo. Entretanto, falar muito rápido, sem pausas, vai dificultar o entendimento do assunto e pode aumentar as perguntas durante sua apresentação. O que fazer?

● Planeje momentos de pausa para respirar uns segundos

● Fale em um ritmo confortável para você entender o que está falando

● Treine bastante, em frente ao espelho, com a câmera do celular

● Cronometre para ver se você está usando o tempo proposto para manter a qualidade do conteúdo.

ERRO NÚMERO 4 - Esquecer de estruturar o início da apresentação


Pode parecer que não fará muita diferença, mas, acredite: não estruturar o começo da sua apresentação pode aumentar ou até ser o fator total do seu estresse. Isso porque, muitas vezes, as próprias pessoas que estão ouvindo você podem ficar ansiosas, interromperem em horas inapropriadas, deixando você ainda mais nervoso ou nervosa.

Como organizar isso tudo?

● Tenha um slide mostrando o que será falado e a ordem correta

● Defina e comunique a dinâmica das perguntas: a qualquer hora ou ao final para tirar dúvidas.

Pode parecer um detalhe, apenas, mas que pode ajudar e muito na fluidez da sua apresentação e na sua tranquilidade.

ERRO NÚMERO 5 - Focar em si mesmo e não na mensagem


O medo que temos de falar em público, gravar e publicar um vídeo ou mesmo fazer uma live, já que estamos falando em um período ainda de certo isolamento social, vem, muitas vezes, do foco exagerado que colocamos em nós mesmos. Esse é, talvez, um erro que não percebemos e que acontece muito: temos receio de sermos julgados, rejeitados, ou até mesmo de virarmos motivo de piadas internas na empresa, não é mesmo?

Acontece que, se a gente coloca o foco no conteúdo, ou seja, o que eu “tenho para falar” é o que realmente importa, e eu sou só o “veículo” para aquela informação, fica tudo mais leve, pode apostar. Para ter o foco certo, se pergunte:


● O que a audiência quer e precisa saber?

● Qual o conhecimento relevante que eu preciso passar?

● Como eu posso dizer isso da maneira mais simples e apropriada possível?

Gostou das dicas? Confere mais sobre isso no nosso IGTV pelo @surianidiomas!

1 visualização